quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Freios simétricos

Se a morte faz uma montagem fulgurante de nossa vida, se impõe um corte, um sentido, a esse plano sequência ilimitado e inacabado que é a existência, não destitui a pluralidade dos sentidos e interpretações.                 
                            “Eu sou um apocalíptico que morrerei cedo ... 
Ás vezes sinto-me louco e absolutamente feliz
dentro de uma infinita solidão.” (Glauber Rocha)