quinta-feira, 7 de abril de 2011

prato de flores



Não se esqueça por favor que você é uma luz, sim. mas de um candeeiro que não se apaga. sai por aí abrilhantando os caminhos, distribuindo sorrisos faiscantes, flutuantes. talvez seja o motivo do céu estrelado. Não me deixa dormir, pois sua imagem se apaga em certos...mas teu amor rasga nos ares, pois há doçura e beleza e eu quero a minha memória bem acessa e só nela é permitido bailar sem vertigem, numa cabeleira de cachos que ondula sobre mim; e ela vai com sua música dentro dos olhos fechados, depois da angústia apagada...


todas as coisas são finitas

3 comentários: